A segunda semana do mês de maio de 2019 tem sido de muita aprendizagem para professores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

Isso porque, nessas datas, ocorre, no campus do Instituto em Ouro Preto, a segunda etapa do curso de capacitação em energia solar fotovoltaica promovido pela parceria entre Setec, Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ) e IFMG, por meio do EnergIF (Programa para Desenvolvimento em Energias Renováveis e Eficiência Energética na Rede Federal).

Segundo os professores que ministram as aulas do curso, Felipe Almeida e Mário Pin, do Instituto Federal de São Paulo, o objetivo é voltado para a “multiplicação do conhecimento”, de forma a possibilitar que “professores de outros campus possam abrir cursos na área de energia solar fotovoltaica”.

Direcionado para a classe dos docentes da Rede Federal, o curso teve início no mês de abril e tem continuidade nos cinco dias de evento no Campus Ouro Preto. O intuito do segundo módulo do curso é aprofundar ainda mais os conhecimentos necessários para que o docente possa ministrar os cursos de especialização na área. Um primeiro curso, voltado à especialização lato sensu; um segundo, referente à especialização técnica e, ainda, um terceiro direcionado a Formação Inicial e Continuada (FIC).

Na visão da professora Cláudia Garrastazu Ribeiro, do IFSul, CampusSantana do Livramento (RS), o segundo módulo é de muita importância também para o futuro desse tipo de energia renovável no país. “Tendo em vista o crescimento do uso de energia solar no Brasil, capacitar alunos nesse mercado é importantíssimo para que a tecnologia seja cada vez mais algo presente na realidade dos consumidores”, destaca a docente.

 

Funcionamento

A turma é composta por 25 docentes, sendo que 15 vagas são destinadas a profissionais do IFMG. Esse momento do curso tem a duração de 40 horas e, além dos professores Felipe Almeida e Mário Pin, conta com a participação de Uzoma Edward, da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável.

Nesse segundo módulo, as noções de dimensionamento e layout de sistemas fotovoltaicos são transmitidas aos professores. Isso, tendo por base os programas PVSyst e PV*Sol, softwares que simulam a implantação de sistemas de energia solar.

A dinâmica das aulas foi ressaltada pelos docentes. “Os instrutores possuem muita experiência na área de energia solar e nos softwares de dimensionamentos de sistemas fotovoltaicos”, destaca o professor Neolmar de Matos Filho, da unidade do Cefet-MG em Curvelo.

 

Energia renovável no IFMG

Desde 2017, o IFMG instalou, nos campi Bambuí, Formiga, Ribeirão das Neves, Betim, Ouro Preto, Congonhas, Governador Valadares e São João Evangelista, 8 usinas fotovoltaicas. A expectativa é a de que, durante o ano de 2019, já devem ser instaladas usinas em todos os campi. Essas estações de geração de energia são capazes de produzir 150kw/h por unidade. A meta do Instituto é a de economizar por volta de R$160 mil anualmente com a geração própria de energia renovável. 

Esse projeto começou ainda em 2016, quando foi criada no IFMG a Comissão Interna de Eficiência Energética (Ciee) - Portaria nº 1003. A comissão possui a função de desenvolver ações destinadas ao uso racional de energia elétrica. “Já temos ações de ensino e pesquisa na área e certamente o curso irá impulsionar nosso atendimento às demandas da sociedade por energia limpa e sustentável”, destaca o professor Reginaldo Ferreira, da unidade de Betim, em fala sobre as atividades voltadas para a energia solar realizadas no campus onde trabalha.

 

Fonte: https://www.ifmg.edu.br/portal/noticias/ifmg-oferece-segundo-modulo-do-curso-de-capacitacao-de-docentes-da-rede-federal-na-area-de-energia-fotovoltaica